Jerusalém e eu, Denise Cerqueira

Para quem gosta de ouvir hinos antigos, recomendamos “Jerusalém e eu”, um dos louvores mais conhecidos na voz da saudosa Denise Cerqueira.

Denise faleceu em 15 de novembro de 1999, num acidente de carro na rodovia entre Teresina/PI e Parnaíba/PI.

O Adeus

A cantora viajava para o Piauí, onde se apresentaria em um evento na cidade de Parnaíba.

Ao sair do aeroporto, um grupo de irmãos da igreja assembleia de Deus a levariam até o local do evento.

Era uma viagem de quatro horas e meia até o local.

Durante o trajeto Denise (que estava cansada pela maratona de eventos) pediu para sentar no banco traseiro e adormeceu no colo de uma irmã.

O carro passava perto da cidade de Cocal, 300 km de Teresina, na rodovia BR-343, quando começou a chover.

Na curva conhecida como “Volta da Jurema”, o carro bateu em um meio-fio da calçada e capotou várias vezes até se chocar com uma carnaúba, espécie de palmeira da região.

Haviam quatro pessoas dentro do veículo, Denise e três outros irmãos.

Os irmãos da igreja saíram das ferragens do carro e buscaram socorro, menos Denise, que lá estava inconsciente.

Segundo a ocorrência, o resgate chegou mas não houve tempo.

No processo de capotagem do veículo, por estar dormindo, Denise se protegeu dos solavancos e batidas e perdeu a consciência.

Desacordada, com fraturas nas costelas e pulmão perfurado, falecia ali uma das mais queridas cantoras evangélicas brasileiras de todos os tempos.

No sepultamento, acontecido em Mesquita – RJ, a polícia militar registrou a presença de 9,5 mil pessoas no cemitério.

Celebridades, políticos, amigos e familiares estiveram presentes naquela despedida enquanto as pessoas cantavam os hinos de Denise em sua homenagem.

A cantora Denise Cerqueira tinha 39 anos e deixou os filhos David Cerqueira e Daniel Cerqueira, 17 e 13 anos na época.

Lembranças e Homenagens

Após um ano de sua morte, Cristina Mel gravou “Nunca Diga Adeus” em sua homenagem, no CD “Sempre te amei”.

A canção, de autoria de Abílio Varella, chegou a ser mostrada à Denise antes de seu falecimento, em uma visita que a cantora fez ao compositor durante seu aniversário, em julho de 99.

Posteriormente, as composições cedidas pela cantora Léa Mendonça para o novo repertório de Denise, intituladas “Uma Nova Unção” e “Basta uma Palavra”, foram respectivamente gravadas nos álbuns “Uma Nova Unção”, de Léa Mendonça, e “Com muito Louvor”, de Cassiane.

Em 2011, a cantora recebeu homenagem de Cristina Mel, que interpretou a música “Jerusalém e Eu” no álbum “Som do Amor”.

A música foi escolhida pelo Troféu Talento como a melhor do ano de 1999.

Certamente, a trajetória de Denise Cerqueira não foi esquecida.

Ainda hoje suas canções são ouvidas, pedidas e lembradas nas igrejas e rádios de todo Brasil e fora dele.

Denise Cerqueira não foi apenas uma cantora de sucesso, mas alguém que insistiu em viver os propósito de Deus.

Conquistou, viveu, perdeu e morreu por este propósito.

Jerusalém e eu – Denise Cerqueira (Letra)

Naquela multidão só ele tinha a cruz,
A fim de perdoar o meu pecar.
E eu não fui capaz de defender sua dor
Sabendo que fez tudo por amor.

Que mal terrível sobre si Jesus levou,
Enorme diferença ao mundo fez.
Eu lembro seu olhar na minha direção
Rogando ao pai perdão para Jerusalém
Rogando ao pai perdão para Jerusalém

Eu não quero errar outra vez
E apesar dos meus erros refez
A aliança que eu mesmo quebrei
Meu pecado deixou lá na cruz
Quando ressuscitou meu Jesus,
Minha vida começou outra vez.

Oh meu Senhor! Jerusalém te machucou
Senhor…Mas eu também já te neguei.
Por vezes quis fingir
Dizendo tê-lo em mim,
Mas lá no fundo eu fui Jerusalém…
Mais outra chance recebeu Jerusalém.

2 Comentários

O que achou do artigo?